Por Walquiria Tiburcio e Tania Crespo

 

Garantir o direito à educação no país exige novos arranjos de políticas públicas, para que elas deem respostas aos diversos contextos que os diferentes territórios brasileiros exigem. Entre tantas realidades, a Secretaria de Educação do Estado do Amazonas cotidianamente lida com as barreiras impostas pelas condições físico-geográficas do território amazônico.

Com o objetivo de garantir o acesso à educação básica, o órgão implementou o programa de Ensino Presencial com Mediação Tecnológica (EPMT). A inovação do programa está em garantir o acesso de cerca de 50.000 estudantes diariamente às aulas dos anos finais do ensino fundamental, ensino médio e EJA, a partir de um sistema tecnológico televisivo, em tempo real.

A experiência, que completou 10 anos em 2017, foi sistematizada pela Move em parceria com a UNICEF, apresentando aspectos da proposta pedagógica implementada, infraestrutura tecnológica utilizada, bem como desafios enfrentados pela política. Espera-se que o material possa inspirar outras localidades que lidem com desafios semelhantes.

O material está dividido em 4 capítulos:

  1. Território Amazônico
  2. Centro de Mídias
  3. Infraestrutura
  4. Desafios e Oportunidades

O documento foi construído a partir de pesquisas bibliográficas, coleta de dados de cunho qualitativo em 4 municípios onde foram entrevistados profissionais do Centro de Mídias, da Secretaria de Educação, docentes, lideranças locais, gestores escolares, estudantes e ex-estudantes do EPMT. Por fim, foram analisados ainda dados quantitativos secundários fornecidos pelo departamento de estatística da SEDUC e dados de pesquisas nacionais.

Para ter acesso à publicação, clique aqui